THOUSANDS OF FREE BLOGGER TEMPLATES ?

domingo, 28 de dezembro de 2008

sem título (6)

...Não Sr. Director, não...
sou interrompida pelo Director.
- Cláudia, deixe-se de formalismos, estamos sentados a tomar um café. Trate-me por Francisco.
Escondi as mãos, suadas, trémulas, debaixo da mesa e em cima das minhas pernas.
- Bom...não Francisco, não sou casada.
- Não me diga que também é divorciada?
- Também não Sr. Dir...melhor, Francisco.
Por favor, falando comigo própria, digam-me quando é que isto acaba. Acho que não vou aguentar com tanta pergunta. Que é que eu faço?
- Bom
Outra vez o Director.
- Vou deixá-los a sós e... Cláudia, trate bem do Thomáz. Olhe que eu quero-o bem preparado para ver se damos uma volta naquele departamento.
- Sim Sr... desculpe, Francisco.
Caíu-me o coração ao pés. Eu não aguentava nem mais um minuto.
- Cláudia, sente-se bem?
pergunta-me o Thomáz.
- Sim Thomáz, estou bem. Acho que o café não me caíu bem, mas passa.
Levanto-me, pego na minha chávena e na do Thomáz mas...imediatamente o Thomáz me pergunta.
- Que está a fazer Cláudia?
- Vou pôr as chávenas no tabuleiro de sujos.
- Que é isso?
Pergunta-me o Thomáz?
- Não é minha criada. Eu levo a minha, não...dê-me também a sua, por favor e diga-me onde devo pôr.
Posto isto e passada esta, dolorosa fase, seguimos então a nossa caminhada pelos departamentos. Esta apresentação tem de acabar, ainda, da parte da manhã. É suposto, depois do almoço, começar a parte prática, mexer nos papéis e a nossa função na empresa, no departamento.
Percorrendo, então, os corredores, eis que à saída do departamento de pessoal, damos de caras, novamente, com o director e, logo de imediato me diz.
- Cláudia, calha bem pois esqueci de lhe dizer. Aí por volta das 18 horas vá ao meu gabinete. Quero falar um pouco consigo. Deixe o Thomáz a tomar conhecimento de alguma papelada e vá ter comigo.
Estou encostada à parede, quase sem respirar. Não há motivo, ele é meu patrão e quer falar de trabalho. Estou a tentar convencer-me disso mas...não consigo. É mais forte, a cabeça não consegue parar de imaginar o que ainda não aconteceu. Porquê, porquê este meu estado, porque reajo assim, viver imaginando?
De repente, penso que tenho junto a mim o Thomáz e não posso demonstrar esta minha aflição, esta minha insegurança. Tenho de esconder esta cara, concerteza bem vermelha, porque quente...está, mostrando a Cláudia segura e zelosa do seu trabalho.
- O director não esconde o quanto precisa e confia na Cláudia.
Palavras do Thomáz.
.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

sem título (5)

... Que me lembre, é a primeira vez que estou à mesa na companhia do meu director.
A conversa está a ser muito profissional, digamos que o Director está, também, a dar algumas informações ao Thomáz.
Escuto, quero sentir o que me possa estar a escapar ou o que posso aprender. Bom... mas no meio disto, sinto-me como alguém que está a mais nesta mesa. A conversa está entre os dois e eu com a sensação de não existir, nem sequer me olham. Que bom, por um lado, mas esquisito sentir assim, por outro.
Estou cada vez mais nervosa, incomodada. A chávena do meu café está a meio e eu, já não tenho vontade. Estou com o desejo enorme de ficar sózinha, de ir para a minha secretária. Preciso respirar, acalmar e estar no meu cantinho.
- Thomáz, que diz da nossa Cláudia?
Valha-me Deus. Uma pergunta sobre mim, do meu Director.
- Muito eficiente, sabedora e está a ser uma óptima professora.
Resposta do Thomáz.
Sorrio, embora não seja verdadeiro. De vontade. Nervos.
- Cláudia sabe que o Thomáz e licenciado em Gestão?
Pergunta do Director.
- Não Sr. Director. Ainda não sabia.
- E também deve ser um bom rapaz. É solteiro.
Diz o Director, sorrindo e eu cada vez mais nervosa e sem saber para onde olhar.
- Digamos antes, divorciado.
Rectificou o Thomáz.
- E... já que estamos com esta conversa, foi coisa que nunca soube, não que seja obrigatório ou da minha conta, mas... Cláudia, é casada?
Outra pergunta do Director. Para mim e sobre mim.


.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

sem título (4)

De boa apresentação, figura bem cuidada, cabelo grisalho, fato cinzento escuro, camisa azul clara e gravata azul escura. Este é o Sr. Thomáz que me foi "entregue" pelo meu director para o pôr ao corrente das suas funções.
A primeira palavra que trocámos foi a nossa apresentação, agora que estamos os dois sózinhos, num tom mais informal. À primeira vista, deu para notar a sua voz bem suave, palavras pausadas e apresentando uma imagem de alguém muito calmo e social.
Percorri os vários departamentos da empresa e fui apresentando-o aos colegas. Enquanto isso e nos intervalos destas apresentações, sempre havia tempo para uma conversa extra, um pouco mais relacionada connosco. Não me parece que seja uma pessoa com dificuldades em estabelecer o diálogo.
Era já percorrida meia manhã e as apresentações continuavam mas, recebo a pergunta do Thomáz:
-Habitualmente não há um tempinho para tomar um cafézinho? Respondi:
- Claro que existe esse tempo.
Ele:
- Então podemos? Deixe-me convidá-la.
respondo:
- Aceito. Temos o nosso refeitório onde nos podemos sentar um pouco.
- Óptimo, já me vazia falta.
Respondeu ele.
Assim foi, sentámo-nos no refeitório e bebemos o café sendo que, pelo meio, como que adolescentes, tentámos ambos estabelecer um diálogo mas...a confiança ainda é curta e uma certa timidez, impedia-nos de olhar um para o outro a modos de se estabelecer conversa, que mais não podia ser, senão e apenas, sobre trabalho. Afinal, foi para isso que o nosso director nos convocou e...olha, por falar em director, eis que o mesmo acaba de entrar no refeitório, o que me causa, sem explicação, uma sensação de calor na minha cara e um certo nervosismo. Pediu uma água com gáz, chega-se à nossa mesa e pergunta:
- Posso fazer companhia?


.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

sem título (3)

Embora não se possa dizer que os dias sejam iguais, não deixei de sair de casa para me dedicar a mais um dia rotineiro. Bem agasalhada porque o tempo não está de grandes calores, entrei numa pastelaria, a do costume e onde o Sr. João me disse:
- Então menina, Bom Dia, vamos querer o habitual?
- Sim, para não variar. Obrigado.
Trata-se de um copo de leite bem quente e um pãozinho de Deus com um pouco de manteiga. Sentei-me, até porque ainda faltava uma meia hora para entrar no escritório e comecei a saborear o meu pequeno almoço e a observar o entra e sai de um mundo de gente. Uns mais apressados que outros, por sua vez, outros conversando num timbre de voz que quase causa arrepios, conversas de futebol, de mulheres e homens, do dizer mal deste e daquela, enfim, um mar de vida.
Dou de caras com um colega e levantando a minha mão, faço-lhe sinal para que se venha sentar e assim foi. Acompanhado da sua bica, demos dois dedos de conversa, o suficiente para o tempo passar a correr. Saímos e dirigimo-nos ao escritório para começar mais um dia de trabalho.
Uma surpresa logo de manhã e para mim.
Quase mal me tinha sentado na cadeira e sou abordada pelo meu Director, na companhia de um outro senhor.
Diz-me o Director:
- Bom Dia Cláudia, este é o Sr. Thomáz que entra hoje para a empresa e vem ocupar o lugar vago junto de ti.
Delicadamente levanto-me e cumprimento o Sr. e depois o meu Director.
Avançando com a situação, o meu Director diz-me:
- Cláudia, quero pedir-te que ajudes este nosso novo colaborador, o identifiques do que se pretende e lhe dês uma apresentação, o mais apurada possível, sobre a empresa. Gasta o tempo que achares para que nada possa escapar. Quero o Thomáz bem conhecedor de quem somos.
Assumi a função mas... não sem antes reparar o quanto o meu Director me observava. O seu olhar fora do habitual, os seus olhos, a fixação em mim, por vezes o parecer-me interromper a sua conversa e naquele vazio o seu olhar, como se fosse a primeira vez que me via.
Não posso dizer que tenha ficado incomodada, mas... algo de diferente notei e em mim penetrou... e ficou.
.

domingo, 16 de novembro de 2008

sem título (2)

Não obstante o prazer de caminhar naquela praia, surge como que uma obrigação, voltar para trás e começar a fazer o caminho de regresso.
Mas... para sua satisfação, outras belezas se lhe proporcionam. O dia já vai longo e o Sol se vai escondendo. O mar, esse, não se esconde mas, se apresenta leve, calmo, sereno e mantém o perfume a maresía. Esta calma deixa transparecer um agradável reflexo que, quase lhe toca e a envolve com sua côr abrilhantada. É o Sol, aquele que se esconde mas que ainda lhe oferece luz e desenha seu corpo na areia.
Os pensamentos, mais ricos, fazem com que as suas passadas se tornem mais apressadas. Afinal, ela volta para sua casa com justificada razão para tanta alegria. Tudo o que de bom seu corpo absorveu e a pedra, agora bem quente, no calor da sua mão e pronta a ser colocada debaixo da almofada da sua cama, dão-lhe o ânimo de enfrentar o peso de mais uma meia dúzia de dias que tem pela frente. Como serão? Ela não pode saber. Ela não quer saber. Ela apenas sabe o quanto ganhou com o dia de hoje.

.

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

sem título (I)











Descalça, calças arregaçadas, enxarpe tapando sua camisa branca mas protegendo seu corpo de uma aragem pura e fria, ela caminha pela areia da praia vazia, onde se pode sentir um maravilhoso salpicar tocando em sua cara e dando o sabor de um mar bravio e salgado. Um cheiro de encanto perfume maresía e ondas de uma espuma que mais parece neve em derrocada, contrastando com o som de uma melodia conjunta de água e gaivota de asas bem abertas, voando, planando, contra o soprar de um vento forte que não impede sua mestria e atenção na procura do alimento que o mar azul e quase transparente lhe ofereçe.
É um caminhar de pensamentos onde a beleza infinita lhe dá a tranquilidade de, por cada passada, desenhar na areia seus delicados pés que resumem um presente e um passado que depressa se vai apagando engolidos pelo mar, resultado de ondas também elas desfeitas.
Abraçada ao seu próprio corpo, apertando e aliviando a força, consoante sua vontade, deixando seus cabelos esvoaçarem e seus olhos lacrimejarem, nada consegue sobrepor-se a este paraíso vazio mas tão cheio, onde apenas uma pedra, branca, lisa, quase aveludada, a faz movimentar o braço direito e, baixando-se, apanha-a, sente o seu aroma, sua frescura e o seu silencio. Olha-a fixamente, fecha-a na sua mão e, respirando bem fundo, aconchega-a ao seu peito.
.
(fotos gentilmente cedidas por uma amiga)


domingo, 26 de outubro de 2008

até...

hoje, posso ser lamechas com o que estou a escrever
mas, de uma coisa tenho a certeza...
a minha consciência assim o obriga
e todos vós o merecem.

a minha ausência, na visita aos vossos blogs,
não deixa dúvidas.
ela já é enorme no tempo e eu confesso
a falta de ânimo em voltar ao que vos habituei...
apreciar a vossa escrita e deixar o meu comentário.
não que vos possa parecer mas, não há um de vós
que eu não lembre e, em determinadas alturas,
vos visito mas... não comento.
a minha maneira de ser diz: todos são iguais,
porque escrevem e partilham os seus sentimentos
logo, todos merecem o meu comentário. agora,
não posso ficar bem, comigo mesmo, comentar
um amigo e deixar os outros. não o faço.

sou portador da doença Bipolar,
como sempre assumi e dou título ao blog,
bem como afirmo que este blog nasceu
para partilhar as minhas experiências vividas
com a doença e aceitar os comentários de alguém,
também portador, ou não.
isso não tem acontecido e eu respeito as pessoas
mas, o blog nasceu e eu não podia parar, daí,
tenho divagado na escrita e mantenho o,
"Bipolar...ou mentepoderosa".

todos nós temos períodos na nossa vida
em que podemos sorrir, ou não.
não posso dizer que esteja num período
totalmente mau mas, confesso,
existe em mim uma certa desmotivação
e sei perfeitamente, pelo muito que me tenho
dedicado a aprender sobre a doença,
estar numa fase menos boa.
lógico que há motivos para despoletar as fraquezas e,
por muito que se tente e saiba, elas tornam-se "chatas"
e demotivam a força das nossas capacidades.

fico bem, comigo, ao confessar
a minha ausência a todos vocês.
não quero que pensem na palavra...
"esquecimento".
aos poucos, para além de vos visitar,
voltarei a deixar o meu, modesto, comentário.


finalmente um recordar:
Bipolares e seus companheiros de vida...
convençam-se que não é vergonha
partilhar o mal de que se padece.
não é aí, ou por isso, que somos diferentes
e esta doença só nos trai,se nós formos mesmo fracos
e não valorizarmos a nossa força.
ela é "madrasta" mas nós, temos capacidade
para a aceitar e...
mesmo debilitados, só existe uma razão...
a força de não desistir.


até...

.

domingo, 19 de outubro de 2008

por ser importante...

quero... depressa,
mostrar a minha janela.
quero... depressa,
mostrar o que vejo, oferecido por ela.
depressa, por ser importante.
depressa, por ser um instante.
depressa, porque é hoje.
depressa, porque já não volta a ser.
todos os dias... é a minha janela,
todo os dias... a gosto de ver.
não que ela seja bela,
mas todos os dias, me faz aprender,
me oferece... prazer.
a minha janela tem a sua cor,
mas com ela, vejo muitas outras...
cores.
afinal... é linda a minha janela,
lindo o que sinto por ela
e o que guardo... dado por ela.

...não tenho foto, da minha janela.

.

sábado, 11 de outubro de 2008

será...?



veja uma cor,

uma flor...

cheire o perfume

onde não há dor,

onde não há lume.

escute o som,

e diga... que bom.

agarre com o ver,

o saber

e muito querer...

ame,

o prazer, o adormecer...

o renascer.

.

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

doce criatura...


vi uma menina,
de saia arredondada.
passeando pela giesta,
com uma cesta abraçada.

seu corpo é simplicidade,
seus gestos de uma criança.
olhos arregalados,
vendo cores de esperança.

cantarolando felicidade,
seguida por pássaros dançantes,
a sua imagem encantada
de desgostos, ainda... tão distantes.


.

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

muito querer...


caminhando sem destino,
sem hora e sem sentido,
vejo um mundo imaginário
que num abrir e fechar de olhos,
seduzido pelo querer,
me deixa tranpirado e desnudado,
de um sonho realizado.

meus olhos querem ver,
minha boca quer dizer.
palavras de um saber...
que mundo este para nascer,
receber e oferecer.

caminhando sem destino,
sem hora, sem sentido,
desgastado e massacrado,
deste mundo
"julgado"...
imaginado,
vejo por fim uma cor
que alegrando minha dor
e esta luta desmedida,
me dá calor, muito amor
e a palavra merecida...

VIDA








(fotografado por sérgio)

.

terça-feira, 2 de setembro de 2008

memórias a navegarem...


(fotografado por sérgio)

como se todas as viagens da nossa vida
se igualassem ao recordar de memórias
que ainda hoje navegam em mares calmos
mostrando cores no horizonte como se
descoberta se tratrasse de lugares paradisíacos
inexploráveis e desnudados de contradições.
.
o agradecimento ao meu amigo Paulo
por me deixar usar o seu pc e actualizar o blog
dando conta que não estou parado mas sim
despido do meu portátil.
.

domingo, 3 de agosto de 2008

ausência...

(fotografado por sérgio)


Caros Amigos, a partir de dia 4 vou ficar sem PC. Vai reparar algumas deficiências.
Em consequência, notarão alguma
ausência da minha parte. Tentarei, contudo, ir ao Forum perto de minha casa e
manter, embora mais limitado, o contacto convosco.



Escolhi esta foto, pela sua graça especial. Trata-se do botão de uma flor em nascimento mas, que tem uma forma bem engraçada... mais parece a cara, de um suposto, ser de outro Planeta.


até

.


terça-feira, 29 de julho de 2008

prostituta, rameira, meretriz = Puta (parte I)

“Mulheres provocadoras, Mundanas, Sem Amor, Dementes, Sem princípios, Ruins, Exploradoras, Desgraçadas, Destruidora de famílias…etc.”.

Será…? E... o Restante?

Estas ditas “Mulheres” (no pior termo da palavra), muito mal vistas por um País inteiro e indesejadas mas… muito Mais Procuradas e Apetecidas, que o que se pensa e julga, são as “empregadas” como se diz, em bonitas palavras, da mais “Antiga Profissão do Mundo”, ou seja, a Prostituição… Putas, como são conhecidas e sem formalismos nas palavras.

Porquê…?
Porquê, tão mal vistas, tão mal afamadas…?
Porquê, tão mal vistas mas… tão Desejadas…?

Alguém, alguma vez, quando passa por uma prostituta, (e só sabe que o é porque se encontra num lugar que não deixa dúvidas) a olha como quem está a ver, uma mulher, um ser humano, igual a todos os outros com os mesmos direitos em todos os sentidos? Alguém, alguma vez, quando passa por estas mulheres, se dedicou, um pouco, a pensar o que as leva a serem o que são e a fazerem o que fazem… “Sexo”, como profissão…? Certo é, que são lembradas e vistas por aqueles que param e que as Usam, fazendo Sexo, sem a Pretensão de Dar e Receber, Sentir… “Prazer”.
É verdade que há muitas maneiras de definir “Prazer”. Sentir Prazer, vivendo o momento e o pulsar do coração (que não é o caso...penso). Sentir Prazer, fazendo o mal.

Estas “mulheres” são, no fundo, o “lugar” onde muitos Descarregam a ausência da motivação, do Amor, do Sentimento, estes sim, muito sentidos mas, não correspondidos.
Outros, apenas pelo “prazer” de o fazerem sem limitações, ou seja, “usarem” com malícia.


Concordo que estas “mulheres” não são, propriamente, aquelas que têm uma vida, como lhe querem chamar…? Limpa…? Muito bem, não têm uma vida limpa. Confesso e alerto, que estas “mulheres” correm riscos e são, também elas, um risco para quem as “usa”.
Há toda uma série de situações, começando pela mais importante, que é a “dúvida” dos malefícios para a Saúde… de ambos.
Outra das situações e, também não menos importante… é a destruição de um lar, de uma família mas… aí, será culpa delas? São elas que chamam os passantes? Elas são “produto” em exposição mas… parar e usar, não é decisão delas. Elas não obrigam ninguém a parar.
(refiro-me, por enquanto, às que se "expoem" na rua).


(continua)

sexta-feira, 25 de julho de 2008

a cascata...


(desenhado por sérgio)


Uma palavra, muito pode valer
e um silêncio, muito querer dizer.
A natureza, só nos ensina prazer.
O amor, um eterno querer e...
um nunca perder.


.

segunda-feira, 21 de julho de 2008

e cantando...












(desenhado por sérgio)


música: Camané

domingo, 20 de julho de 2008

não... sim...


(desenhado por sérgio)














Por vezes tenho esta necessidade…
Reflectir.


Parar no tempo e pensar…
um pouco.
No passado, presente e … futuro.
Pedir à minha mente…ajuda-me!
Não sou a favor de fazer planos para o futuro.
Contudo, reconheço a necessidade de rever,
o… “aconteceu” e o… “acontece”.
Repetir é perigoso…ou não?
Esquecer? Outra incógnita.
Aparece então…
Que fazer? Como vai ser? Que acontecerá?

Não… Sim…


.

terça-feira, 15 de julho de 2008

Paixão correspondida...

(desenhado por sérgio)

O Amor, é como as palavras que se escrevem...
Vive-se, Sente-se e Gosta-se...

.

sábado, 12 de julho de 2008

???...


(desenhado por sérgio)














Viagem ou passeio...
um prazer sem destino.
Duas almas, dois corações...
partilham apenas...um sentido.
Sentimento, emoções e desejo.
...garantido?

.

quinta-feira, 3 de julho de 2008

por amor...?


(desenhado por sérgio)














Ahhh...Puxa...

Mas porquê...? Ahh...Uii...
Porquê tanta dificuldade?
Não é possível...é, é possível.
Ela é a minha amada.
Tenho de ser forte e...
e agora ter sorte.
Ahh...Uii...
Será que aguento?
não me posso ir a baixo.
E será que ela espera?
Mas...eu não me despacho.
Falta pouco...falta pouco...
e eu só posso estar louco.
Amor...Amor...está quase,
só mais um pouco.


"POR AMOR"

.

segunda-feira, 30 de junho de 2008

a mala...


(desenhado por sérgio)















Viajo sem sentido, numa aparente cegueira de,
para onde vou e o que quero.
De mala na mão, sem qualquer bagagem,
tento encontrar algo que a possa encher.
Não sei o que será, nem propriamente o que
precisarei. Apenas sei que está vazia e alguma
coisa lhe faz falta…
e a mim.
Os dias não são dias, nem horas, nem minutos
nem segundos. Nada…
não existe tempo.
Existe apenas a vontade de preencher o vazio...
da mala…
e meu.
Sentir um peso que me canse, me faça transpirar
e me diga que qualquer coisa transporto, carrego,
possuo…
dentro da mala…
e de mim.


.

domingo, 29 de junho de 2008

um ano...

(desenhado por sérgio)
















Hoje...
dei conta que faz um ano.

Apenas uma pequena frase...

OBRIGADO POR SEREM OS MEUS MELHORES AMIGOS.

.

quinta-feira, 26 de junho de 2008

possível...?


(foto e desenho de sérgio)










Realidade... Ficção.
Uma foto... um desenho.
Sentimento... Imaginação.
Um desejo... sem rima.
É...
Uma foto... um desenho.

.

terça-feira, 24 de junho de 2008

livro...a companhia


(desenhado por sérgio)
















O Céu…
Um pássaro e o seu ninho.
As árvores…
Um homem…sozinho,
Não…com o seu livro,
Com a natureza …
E um pensamento.
Talvez um sonho,
Ou em desalento.

.

sexta-feira, 20 de junho de 2008

dizer...escrevendo

(desenhado por sérgio)
















Uma caneta...
uma folha de papel.
Uma palavra...um pensamento.
Escrever .... e rasgar papel.
Voltar a escrever... pensar.
No final...o Sentimento.


.

terça-feira, 17 de junho de 2008

diz...

(desenhado por sérgio)












"Quem fala de Amor... não ama

quem ama... de Amor não fala".


.

segunda-feira, 9 de junho de 2008

um encontro ... ?


(desenhado por sérgio)









“NÃO POSSO…NÃO DEVO…MAS QUERO”

dois corações, um desejo...
a sede.
Um Amor …
e uma parede.

.

domingo, 1 de junho de 2008

é...?



uma vela...
um exemplo...
para acender... um fósforo
para apagar... um sopro
SIMPLES!!
e a VIDA?
porquê tão complicada...??
Quando pode ser SIMPLES...
porque nós, Humanos, devíamos pensar... e não PENSAMOS!!
AGIMOS...!

sábado, 24 de maio de 2008

querer...



Saber amar... parece fácil ... e É.

Contudo, há uma regra fundamental...

APAIXONARES-TE POR TI PRÓPRIO/A

Conseguindo... saberás AMAR.

domingo, 18 de maio de 2008

uma janela...uma vida


(Foto by Sérgio)


Manhã, bem cedo!

Ainda com a sensação de há pouco me ter deitado, acordo bruscamente ao som do cantarolar de pássaros que, numa enorme azáfama, fazem com que me levante e os vá apreciar.

São andorinhas no parapeito da minha janela onde, no dia anterior pela noitinha e antes de me deitar, estive a comer um pão com manteiga e a beber um copo de leite morno. Era o meu aconchego para contentar uma noite bem dormida. Qual não é a minha alegria em poder observar, bem escondido por detrás da cortina junto à janela, que aquele maravilhoso chilrear se devia às migalhas caídas do pão que comi. Longe de desconfiarem que os meus olhos estavam fixos nelas, pude verificar o quão belo era este cenário e esta dança de uma… e mais uma… ao todo três lindas andorinhas, de um colorido bem acentuado e traços bem definidos, de um preto intenso nas asas e no corpo… até à cabeça, contrastando com um branco, ainda mais branco que o leite que eu tinha bebido, debaixo do ventre, até às patas, essas de um singelo cor-de-rosa.

Na verdade, não me cansava de ali estar, se bem que ainda o dia mal tinha começado e eu podia aproveitar mais uma hora, ou uns minutos, deitado na cama. Mas aquilo que estava a olhar era mais bonito do que o fechar dos meus olhos para nada ver. Era um bailado maravilhoso, num ritual matutino sem igual.

De repente… um ruído forte de um qualquer objecto que caía em casa do meu vizinho de cima. Assustei-me. Forte o suficiente para, naquele pequeno instante em que desviei o meu olhar da janela, ter perdido o espectáculo a que assistia, do bailado das andorinhas. Triste com a perca de um começo de dia bem iluminado e invulgar ou, se calhar, não habitualmente rotineiro… fui ao meu quarto de banho dar uma pequena lavagem na minha cara, seguindo direito até à cozinha para aquecer um copo de leite que me fez lembrar o lanche da noite anterior, cujas migalhas foram saboreadas por aquelas três maravilhas da natureza. Sem pressas… e porque o dia a nada me obrigava… decidi ir à sala de estar. Acendi a televisão e sentei-me no meu sofá cinzento, lugar habitual de estar, e pus-me a assistir às primeiras notícias do dia.



P.S.
A todos os que me têm visitado, peço desculpa pela ausência das minhas visitas.
A saúde por vezes prega-nos partidas e eu tenho feito o possível por ultrapassar. Um bonito Beijo e Abraço para todos.
Um agradecimento especial à minha, nossa, Amiga Alice (Blog Detalhes) pela correcção do meu post.

sábado, 10 de maio de 2008

acreditar...





















(Foto by Sérgio)


Prisão? Não...

Acreditem

A Vida é Felicidade… Harmoniosa, Linda e Gostosa.
Maravilhosa.
Tudo nos Dá…basta Aprendermos.
A nossa Mente é poderosa…complexa.
Mas nós, Seres pensantes. Temos Poder…
Temos desejos e fazemos o que queremos…
e o que não queremos.
Certo ou Errado…Bom ou Mau.
Felizes…?
Infelizes, na maior parte do tempo.
Então… BASTA.
Vamos parar…Sorrir e Respirar.
Reflectir, pensar em Nós…
Conhecermo-nos.
Convencermo-nos que aquilo que parece Complicado,
Não passa de uma Ilusão…

Afinal… é SIMPLES.

Acreditam…?

Então Vivam, Amem e sejam Felizes.

sexta-feira, 2 de maio de 2008

Amor "perfeito"...

Recados e Imagens - Românticas - Orkut


Foi assim,
numa noite bem escura…
Que senti,
o sabor da frescura.

Foi assim,
numa noite bem escura…
Que percebi,
o desejo da aventura.

Foi assim,
numa noite bem escura…
Que vislumbrei,
a beleza e a ternura.

Foi assim,
numa noite bem escura…
Que descobri,
um Amor em uma Alma pura.

E foi assim,
numa noite bem escura…
Que vivi…
uma intensa loucura.

Céu e Mar… o Amor perfeito.





quarta-feira, 23 de abril de 2008

sentido...

(Foto by Sérgio)

O poder do Sentir…
está em quem tem Coração.
A sabedoria das Palavras…
só é gozada por quem nutre de Pureza na Alma.
Amor… é palavra Bonita,
Amor… é Sentimento,
Amor… Todos têm,
mas…
Amor… Muitos não sabem o que é.
Quando se Sente… Chora-se.
Quem não Chora…
não sabe Apreciar, Sofrer… Viver.
O cair de uma Lágrima… é Dor,
Dor no Coração,
Dor no Corpo,
Dor na Ignorância,
Dor no Saber,
Dor no Olhar.
Uma Lágrima… É Tristeza.
Uma Lágrima… É Felicidade.
Tristeza e Felicidade…todos Temos,
todos Sentimos.
Tristeza… são Desejos Perdidos.
Felicidade… o Sentimento da Alma…
um Amor no Coração, o Gosto pela Vida.

A Vida tudo nos dá…
uns Semeiam… outros Destroem.

A Vida tem sempre Um Sentido.
O Amor… nem sempre é Sentido.

terça-feira, 22 de abril de 2008

justificar...

Queridos Amigos,

Este pequeno texto tem a missão de vos pedir desculpa, primeiro pelos meus, atrasadíssimos, visitas e comentários aos vossos posts, bem como na actualização do meu próprio blog.

O motivo deve-se ao facto de o meu PC ter sido infectado por vírus que nem o antivírus deu resolução e ter sido forçado a pedir ajuda a um profissional de informática.

Bem, mas...para estar a escrever este post, é porque finalmente já está resolvido. Agora vou, o mais rápido possível, actualizar o meu blog e visitar todos os vossos, comentando-os.

Portanto, não vos esqueci e vou estar outra vez navegando pelos vossos cantinhos.

Beijinhos e Abraços para todos vós.

segunda-feira, 14 de abril de 2008

para vocês ... Amigos

(Foto by Sérgio)


Através de um espelho me olho...
e pergunto…
Que vida é esta “Senhor”…
que tanto sorrio e me alegro?
Sozinho, sabeis que vivo…
mas contente me sinto.
Será possível tal desalinho,
quando pelo Amor não minto?
Acredito “Senhor”…
que o bem me queres dar.
Como o coração me deste
e o sentimento de amar.
Também me destes Amigos…
e Bons Amigos tenho.
São espaços que visito…
sem segredos, sem conflito.
Ricas palavras, muitas conversas…
a eles me entrego em horas dispersas.



Agora compreendo…
o muito tempo de espera.
Foi para me ofereceres, o Prazer… a Alegria,
de fazer parte… da Blogosfera.


Amo-te “Senhor”
obrigado pelos Amigos

quarta-feira, 9 de abril de 2008

"Mulher..."

(Foto by Sérgio)

Como eu gostava de ter palavras nobres para poder dizer o que é... “Mulher”.

Deus criou a Mulher… como Companheira do Homem.
Deus criou a Mulher… carregada de Beleza. Um ser Belo.
Deus criou a Mulher… como símbolo da Felicidade.
Deus criou a Mulher… com a missão de Amar.

Ela… é Esposa, é Amante,
Ela… é Procurada e desejada,
Ela… é Mãe, é Pai,
Ela… é Dona de casa,
Ela… é Executiva,
Ela… é Professora, é Mulher-a-dias,
Ela… é Forte, é Fraca.

A Mulher é um ser Maravilhoso, Cheio de grandes Virtudes… Companheira, Amiga, Carinhosa, Inteligente, Alegre e Voluntariosa na Ajuda aos outros.

A Mulher é Desprotegida… é Vítima de Sofrimento, é Vítima de Chacota, é Vítima de Maus-tratos, é Desprezada/Abandonada, é Humilhada, é mal Amada.

A Mulher é como Flor que se rega, para não morrer… requer muito AMOR.
A Mulher… é Indispensável…

“MULHER”… Obrigado

domingo, 6 de abril de 2008

aprender...



(Foto by Sérgio)


Na imagem do meu “Ser”…
um coração eu quero ter.
Palavras doces quero dizer…
para vos conhecer...e merecer.

Ternas, muitas são…
e embalam-me o coração.
Ignorante eu sou... de vocação,
para não mais, ter um não.

Minha boca sinto-a crua…
por não conseguir uma letra.
Assim não terei a tua…
e a minha continuará nua.

Aprender é o meu desejo…
para não mais sentir a dor.
Qual de vós eu não vejo…
e me ensine o que é o AMOR.

quarta-feira, 2 de abril de 2008

Eu...




(Foto by Sérgio)


Fui convidado pela amiga “momentos…(*)” a participar neste desafio, aqui vai:


Eu…

Pois bem, sou um “rapaz” de 50 anos que se orgulha de ter tido uma infância bonita e do tempo em que dava para fazer tudo sem criar problemas aos pais. Muitas traquinices.
Cresci mantendo determinados hábitos da minha personalidade, como sejam:
Sou uma pessoa Alegre, gosto de conviver e fazer amizades. Tenho o defeito de acreditar demasiado nas pessoas, pensando que ninguém prejudicará alguém, ou seja, confio. Neste aspecto tenho tido várias desilusões, algumas que me prejudicaram, mas a vida ensina-nos. Ao contrário, sou uma pessoa disponível que gosta de se entregar e ajudar, não só os seus, como os outros, principalmente os amigos.
Adoro a palavra amizade e a minha vida está nessa base, fazer amigos de verdade. Contudo, fui aprendendo que: Amigo não se pode chamar a qualquer um.
Sou Pai de 2 Filhos (um rapaz e uma rapariga) os quais amo e serão sempre o meu amor, eterno. Darei o que puder por eles. Já fui marido (provávelmente, mau marido) mas…as pessoas têm opções e eu sei respeitar. Tenho uma filosofia de vida que me faz aceitar, que as pessoas são e fazem, o que acham que devem e querem fazer. Logo, vivo sozinho no meu canto e procuro, fundamentalmente, a prática de vivência que me permita tranquilidade. Sendo uma pessoa tranquila estou apto a partilhar essa tranquilidade com outros que dela necessitem. Gosto de escrever e de ler. Gosto de conversar. Falar e saber ouvir. Adoro, todos os dias logo de manhã, bem cedo, fazer caminhada à beira mar, desfrutando do cheiro a maresia, o barulho do mar, observar as gaivotas e, acima de tudo, respirar o ar puro que a natureza nos oferece.
Desprezo a mentira e amo a verdade. Sou uma pessoa simples, humilde e honesta. Contudo gosto que sejam os outros a avaliarem-me.
Se só tenho coisas boas…? Não, tenho concerteza os meus defeitos. Mas esses, só os outros, vocês, mos podem dizer.
Como não minto e a prova está no título do meu blog, sou doente Bipolar e com ela, “doença”, aprendi a “viver um dia de cada vez” e a não me preocupar com o futuro.

Ah... O Amor:

De Alma e Coração...
Me entrego loucamente.
Num Amor puro e sem Traição...
Amo...mas Amo desesperadamente.

Posto isto, cumpri o prometido e vou agora lançar o desafio a 5 amigos (sem qualquer tipo de preferência).


"Detalhes", "Kakausinha", "Paixoeseencantos", "Sentimento em estado gasoso", "Crónicas, releituras e outros".

Agradeço á amiga "Momentos...(*)".

terça-feira, 25 de março de 2008

em Delírio...



(Foto by Sérgio)

“Por mares nunca antes navegados”…

eu batalho na procura de um amor.
São noites e dias inteiros…
e eu sofro sem dar valor à dor.
Tempestades eu venço…
é mar bravo e vento intenso.
O desejo é ardente…
debaixo de um Sol bem quente.
De noite avanço na escuridão,
tudo porque nego a solidão.
Em delírio vejo cor e digo…
está ali…está ali, o meu Amor.
Estou doente e trespassado…
não era o meu Amor…
nem eu serei Amado.

quarta-feira, 19 de março de 2008

Bonita...para venda.

(Foto by Sérgio)

Vende-se...

Casa de amores e desamores...

bom estado de saudades.

Lugar encantado...

á espera de novidades.

Semi-mobilada...

duas árvores...recordações.

Pronta a habitar...

de bons corações.

Qual o preço...?

não tem valor.

Desde que tenha...Amor,

Muito Amor.

segunda-feira, 17 de março de 2008

espera...

(Foto by Sérgio)

Vivo numa espera eterna...
que desespera.
Sentimento desgraçado...
na esperança de ser amado.
Os dias, as semanas, os meses...
deterioram.
Os segundos, os minutos, as horas...
demoram.
Ah, como dói o coração...
por não sentir a tua mão.
O medo se apodera de mim...
por estar nesta espera sem fim.
Sinto-me desgastado...
e cansado.
E tudo deixa de ter valor...
se não tiver Amor.
Vivo numa espera eterna...

sexta-feira, 14 de março de 2008

Bons velhos tempos...

Divirtam-se.

Lembram-se...? Muitos não. Boy George.

até

quinta-feira, 13 de março de 2008

portas...

(Foto by Sérgio)

Portas...
agredidas pela antiguidade.
Saídas...Entradas.
Caminhos...
longos e coloridos...
verdejantes.
Prazeres escondidos...
mas imaginados.
Sala de amores...
passados.
Recanto de sonhos...
encantados.
Saídas...Entradas.
Lugar de íntimidades...
antigas.
Hoje a saudade...
mas a beleza continua.
O amor...
o amor perdura.

terça-feira, 11 de março de 2008

janela... para amar


(Foto by Sérgio)

Minha janela...meus olhos,

são visiveis tuas marcas.

Marcas profundas e dolorosas...

sinais velhos de tanto uso.

Lindas imagens me mostras...

muitas imagens me chocam.

Velha no teu parecer...

bonita és no teu olhar.

Dá-me a vontade de querer...

de querer ver... e de te amar.

segunda-feira, 10 de março de 2008

obrigado...






(Foto by Sérgio)
Meu Deus, que me queres dar…?
Sinto o corpo estranho,
sinto alegria, sinto força, sinto-me cantar.
Meu Deus, que me queres dar…?
Observo o azul do céu…
Observo o azul do mar…
tudo me parece azul e azul gosto.
Mas…é estranha, a sensação de bem estar,
o meu rir, o meu falar, a minha tentação de…
correr, correr que nem doido e procurar…
mas penso, que vou procurar…?
Não sei…mas sei que há algo que existe.
Algo que, apesar de escondido, eu sinto.
Meu Deus, diz-me…ensina-me…
para onde queres que vá…?
Alegria…alegria…só alegria.
Não é normal, não conheço motivo…
apenas te digo…que bom.
deixa ficar mais um pouco,
deixa, que apesar de desconhecido…
me dê mais um tempo deste prazer.
Meu Deus, sei que não me vais dizer.
Vou estar nesta leve e sentida maneira de estar,
na ignorância e no começo do medo de acabar.
E depois…?
O que faço, o que sentirei e o que serei?
Mas mesmo assim… obrigado.
Obrigado por me teres oferecido.
Obrigado por saber que existes e…
meu Deus…é o que queres…?

domingo, 9 de março de 2008

"O Diário da Nossa Paixão" fim...





(Foto de Capa)
os protagonistas


"Décadas mais tarde, um homem lê um caderno antigo para uma mulher que visita regularmente no asilo. Embora a memória dela esteja enfraquecida, pouco a pouco, ela deixa-se envolver pela magia da presença dele, do que ele lhe lê, pela ternura dele... E o milagre acontece".


"Por detrás de um grande amor, existe sempre uma grande história".


É verdade...passaram Décadas mas... no final, JUNTOS.


"Terá o amor força suficiente para vencer?"


até

sábado, 8 de março de 2008

mulher...


















rendo-me ao vosso encanto...


um Beijo para vocês caras amigas.
vocês são lindas.
que não seja só hoje, o Dia-da-Mulher.


até

quarta-feira, 5 de março de 2008

"O Diário da Nossa Paixão"


(Foto by Sérgio)
olá
Gostava de partilhar convosco a satisfação de ter visto um filme como (provávelmente muitos já viram) há muito tempo não tinha este gosto e mexeu com a minha sensibilidade.
Trata-se de um Romance realizado por Nick Cassavetes, baseado no Best-Seller de Nicholas Sparks.
Não querendo plagiar a história, transcrevo a narrativa:
"Em jovens, Allie e Noah, apaixonam-se profundamente durante um verão repleto de emoção e liberdade. O jovem casal rapidamente é separado pelos pais de Allie que insistem que Noah não pertence ao seu mundo. Vários anos mais tarde, eles encontram-se novamente e o amor que sentem inflama-se de novo, forçando Allie a escolher entre o amor e a sua classe social.
Terá o amor força suficiente para vencer?"
Hoje não vou continuar a narrativa, mas prometo-vos o final para amanhã. Se entretanto quizerem dar a vossa resposta á pergunta, amanhã poderão ter a certeza.
"Por detrás de um grande amor, existe sempre uma grande história".
até

segunda-feira, 3 de março de 2008

a força e a fraqueza...



(Foto by Sérgio)

olá

A força e a fraqueza se juntam, mesmo quando a beleza é única. O Homem é uma criação e a Natureza a ela se cria. Entre um e outro há algo em comum, a Beleza. Entre um e outro há uma grande diferença, a Força.

A foto mostra estas particularidades. A força da Natureza "destroi" o que o Homem fez.

Foi um dia de temporal em que, mesmo bem conservado, este pequeno barco não resistiu ás chuvas intensas, fruto da Natureza, que o encheu e o "afundou".

A Força e a Fraqueza.

até

domingo, 2 de março de 2008



(Foto by Sérgio)

olá

há beleza, há brilho.

Planeta terra...? Marte...?

simples, puro, cor...

preta, cinzenta, branca...

rocha, pedra... Arte...?

há beleza...há brilho...

mas não importa...

é apenas uma pedra, apanhada do lixo...

até

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

apenas ele... só ele...



(Foto by Sérgio)

olá

nada me interessa...

nada me impede...

quero o meu destino...

deixem as minhas asas voar...

porque ele já espera...

nada me interessa...

nada me impede...

apenas ele...só ele...

..., ..., ... o AMOR.

até

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

recebi este "meme" da amiga "adri - dri - drika" visitem seu "bonito" blog " DESABAFO"

Uma paixão: Descobrir coisas novas.
Uma hora: A de dormir.
Um astro: A Lua
Um móvel: Minha cama
Um líquido: Água
Uma pedra preciosa: Quartzo azul
Uma árvore: Goiabeira.
Uma flor: Margarida
Um animal: Um só não dá, tem q ser dois, gato e hamster.
Uma cor: Azul
Uma música: No momento Crazy little thing called love - Queen
Um livro: Muitas vidas Muitos Mestres.
Uma comida: Arroz com feijão.
Um lugar: Meu quarto.
Um verbo: Respeitar
Uma expressão: Quer levar um suco na boca...rs
Um mês: Junho - Inicia o inverno
Um número: 2
Um instrumento musical: Guitarra
Uma estação do ano: Inverno
Um filme: O sexto sentido.

obrigado

Agora irei repassar.

senhora minha...


(Foto by Sérgio)


olá
meu abraço diário...
meu observar diário...
meu sentir diário...
senhora dos meus sonhos...
senhora dos meus desejos...
senhora dos meus lamentos...
senhora de mim...
minha VELHA...meu AMOR...
até

domingo, 24 de fevereiro de 2008

solidariedade...














olá

Hoje dedico o meu blog (com poucas palavras) a este dia de solidariedade. Que este dia faça com que todos nós tenhamos a sensibilidade de pensar nos...quantos estão necessitados, pelo menos, de uma palavrinha nossa.

até

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

leveza...puro...desejo...

(Foto by Sérgio)

olá


Palavras poucas…sentimentos.
Desejo ardente…calor.
São poucos mas belos…os momentos.
Desejo expressivo…AMOR.


Sintam, sintam, mas sintam…
esse desejo leve, puro, sem dor.
Sintam, sintam, sintam…
e digam com alegria, eu sinto,
eu quero…AMOR.


Com as minhas mãos eu quero,
acompanhar o vosso sonho…AMOR.
Com os meus olhos eu quero…
ver a luz no vosso corpo…belo,
brilhando com muita cor.
AMOR...


até

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

será...? não sei...

(Foto by Sérgio)


olá


Sinto no corpo algo que me atormenta. Uma reacção tão depressa boa…tão depressa má. A vontade é grande...quero saber tirar dúvidas e reter o que me está a alegrar a alma. Derrotar, desfazer-me, rapidamente do que me perturba, do mal, que está presente.

Gostava conseguir isolar e sentir apenas a fase boa. Ela é forte, ela é boa, ela é algo que há muito tempo eu não sinto.


A vida dá-nos voltas e nós perdemos os sabores bonitos do que é bom. Desabituamo-nos. Mas…em compensação, o mal ainda é mais forte e rotineiro. Causa-nos a habituação e o prever mesmo antes de acontecer.


Como eu gostava de continuar a sentir este bom, como eu gostava de virar a página da minha vida, construi-la de novo nem que, como que um voltar para a escola, fosse aprender como se faz, como se faz para durar um tempo sem fim este sentir agradável.
Eu preciso saber, eu tenho de preservar este valor que me invade de alegria e sentimento que faz com que o coração bata, mas bata de felicidade.

Eu sei o que é… será que sei? Eu quero acreditar que é isso, mas há tanto tempo que fizerem que eu aprendesse a esquecer.

Agora…agora tenho medo de ter coragem e medo de não saber se é verdade.


até

domingo, 17 de fevereiro de 2008

bonito e relaxante...

olá


Hoje são poucas as palavras que vou escrever. Avizinha-se o começo de mais uma semana de trabalho e ninguém está com PACIÊNCIA para nada. O mau HUMOR começa a dar sinais.

Bom, apenas quero dizer que... por favor sejam vossos amigos e com as capacidades que têem, mais que suficientes, contornem a negatividade e "trabalhem" a MENTE, para serem felizes convosco e, principalmente, com a VIDA.

Agarrem-se ao que vos dá prazer e SORRIAM. Façam como eu, olhem a minha foto e vejam o meu sorriso. Tudo porque estou prazerosamente com uma bonita música, Celta e uma grande cantora, a meu lado.

Acompanhem o que é bom e aceitem, com um sorriso, o que é mau.

VENCEDORES...

até

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

curiosidade...

olá






(Foto by Sérgio)


Como se pode ver, todos os dias temos motivos de surpresas...novas. Todos os dias temos motivos para dúvidas...novas. Todos os dias temos motivos para fotografias...novas. Ou seja e como sempre afirmo, todos os dias são...novos e diferentes.

Pois é, na minha habitual caminhada, onde nunca abdico passar pela Baía, hoje foi dia de tirar mais fotografias para juntar ao meu, carregado, álbum e não pude deixar de registar a que aqui publico.

Uma caminhada não é só por os pés, as pernas, o corpo em geral, a andar e mais nada. Não... As caminhadas são saudáveis quando se tira o melhor proveito delas. A manutenção do nosso corpo, os maravilhosos exercícios respiratórios enquanto se caminha, os sempre agradáveis sentidos de observação e faro, o constante trabalhar da nossa mente, obrigada a deitar fora todos os pensamentos negativos e a alimentar-se de novos pensamentos mas... positivos.

Em resumo; tudo isto para dizer que é nestas alturas que o passado...já foi e o futuro, ou seja, o dia seguinte, ainda não nasceu. Logo, é o dia presente, que temos de aproveitar da melhor maneira... Concordam?

E...já agora, por acaso alguém que está a ler este meu blog, ao OBSERVAR a foto, limitou-se a isso, ou, também viu e PENSOU no que poderá estar dentro de água (Baía) a provocar o efeito (visível), quanto a mim, estranho mas engraçado.

Se me quiserem dizer o que é que está a provocar o efeito, eu dou por satisfeita a minha curiosidade.

Atenção, não quero com isto dizer que algo de "extraterrestre" (brincadeira) esteja a suceder. É evidente que é algo normal mas que eu nunca tinha visto. Pescadores há que se estivessem perto, logo me satisfaziam a curiosidade.

até

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Será...

olá


TODOS OS DIAS O MESMO...


É assim todos os dias. Comento mas não dou certezas. Os animais têm-me dado tanto a observar que...acredito que não somos só nós humanos, que temos os nossos sítios rotineiros para "pousar-mos" (aqui é de propósito "pousar" e não "poisar"). Conforme se vê nas fotos, são dois sítios diferentes, que pode bem pensar-se que, um será o posto de VIGIA, o outro uma questão de Fé. Não se sabe. O muito que tenho observado, durante as minhas caminhadas e o quanto vejo as reações do meu bichinho de estimação, deixam-me poucas dúvidas quanto á inteligência dos animais. E afirmo isso porque, é diário os seus "costumes".

Que eles são perfeitos no que fazem... isso são e ás vezes eu ao observar sinto-me "pequeno".

Será mesmo...assim tão grande a sua inteligência?

E comparativamente com a nossa...


Vocês, caros colegas, aceitam este desafio e dão-me a vossa opinião?













(Fotos by Sérgio)


até

sábado, 9 de fevereiro de 2008

o meio e a beleza...

(Foto by Sérgio)


olá


Ser velho...antigo, ser novo...moderno, qual a diferença, qual o mais belo. Separados pela Baía podemos ver os contrastes. Um e outro têm a sua beleza, depende. Contudo, o que é antigo tem beleza natural, tem recordações que não se apagam, tem idade vivida e resiste. O novo, tem os novos ídolos do cimento, que se torna desproporcionado perdendo a força da beleza. É certo que as diferenças são grandes e tudo graças á mudança dos tempos. Uns continuam o conforto do antigo e outros tornam-se o conforto do novo. Mas...qual deles o mais belo?

O do meio. Sempre o mesmo e não permite que deixe de ser o que era e o que é. Tudo pode mudar, mas... a Baía, essa, é sempre a Baía, recordação e beleza para o velho e para o novo.
Não tem idade e não se altera. A beleza...mantêm-se.


até